Dúvida

15:33


Na verdade, não houve beijo, quero deixar certos pontos esclarecidos desde o início.
Ela olhava seriamente para os livros, havia muitos sobre a mesa, a moça recheada de ideias fazia questão de procurar respostas em todos. Sentada à mesa na companhia do ex-amor de sua vida, e atual colega de trabalho, ela aprendeu que trabalhar junto significa trabalhar junto, até quando o amor acaba, se é que acabou.
Também concentrado nos livros e em suas pesquisas, ele ao lado dela, sempre soube mais sobre o amor. Entretanto, deixou-se levar pela concentração exigida no trabalho e isso o fez suportar ficar ao lado da moça, da mesma maneira que havia ficado durante três anos, mas desta vez, ele apenas lia livros e fazia anotações.
Para ela, um dia de trabalho ao lado dele, queria dizer apenas: um dia de trabalho.
O fato de passar o dia inteiro olhando-o sem realmente enxergá-lo, só lhe doía quando era preciso encarar a cama vazia.
Ele, ao folhear encontrou algo, leu para ela, mas não era um verso de amor como fora outrora: leu um conceito importante, de alguma coisa realmente importante, dito por um pensador que devia se sentir importante, já que até havia publicado suas ideias em um livro.
Ele nunca publicou o seu conceito de amor em um livro. Há algum tempo, ele escreveria um dicionário sobre ela, hoje, nem sabe mais o que fazer com tantas definições que tem a seu respeito.
Para o rapaz, um dia de trabalho ao lado dela, queria dizer: um dia de trabalho sentindo aquele perfume, um dia reparando naquelas mãos, um dia sentindo borboletas de saudade no estômago. Quando ele vai para casa, quando sai com outra, as borboletas dão um tempo.
Perto dela sua respiração não é capaz de sair normalmente, e fazia dias que ele não podia mais conviver com aquilo.
Depois de todos esses dias ele realmente não podia mais, o choro preso arranhava sua garganta ao ter que argumentar sobre qualquer ideias diferente de amor. Toda palavra técnica, que saía de seus lábios e todos os conceitos científicos que tentavam entrar em sua mente se perdiam em algum lugar.
Às vezes começos são mais bonitos que finais.
Amor não devia ter medidas certas, nem ser consumido para um dia acabar.
Ele não aguentou, uma lágrima escorreu de seu olho direito, respirou fundo, baixou a cabeça e com voz de choro disse baixinho: - Ainda te amo.
Tentou dizer mais, procurou palavras e notou que havia dito o suficiente.
No primeiro momento houve uma breve pausa no tempo, o mundo havia parado e no universo só existiam os dois.
Ela que já estava sentada ao lado dele desde o começo da manhã, apenas se aproximou mais, olhando com aquela força de sempre, perto e o olhando firmemente, sentindo o amor que não sabia se era capaz de deixar de sentir.
Ao notar o corpo da mulher que amava mais perto, ele ergueu a cabeça olhando em direção aos olhos dela e ela olhou nos olhos dele, que esperavam um beijo, uma nova chance, um recomeço e ela respirou fundo, uma lágrima escorreu de seus olhos que se fecharam.
A moça apenas se afastou novamente e o desejo que seus lábios tinham de tocar os dele, não se cumpriu.
As lágrimas começaram a descer em maior quantidade e o amor que, por braves instantes pareceu ser a resposta, voltou a ser a dúvida.

You Might Also Like

4 comentários

  1. "Às vezes começos são mais bonitos que finais".

    Ai, Raquel, amei! Muito lindo! Quero mais textos assim! <333
    Concordo muito com essa frase, porque de vez em quando é a verdade. Eu estava lendo um livro super porre sobre um casal que se amava, mas que era incapaz de dizer um ao outro. O final foi muito tosco. Mas o começo foi lindo. Às vezes a vida é assim mesmo, meio ao contrário.

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Sem palavras para descrever seu texto! Já pensou em fazer desse texto algo maior? Se não, deveria. Gosto dessa ideia do homem que ama, mas que a mulher não o atende, enfim, essas características me lembram um pouco as belas e cativantes cantigas trovadorescas. Quero mais dessa história, afinal não me conformo com esse final, quero mais, muito mais. Parabéns!

    Abraço!

    Blog: legereoculis.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Meu Deus, quanta perfeição em um único texto!
    "Amor não devia ter medidas certas, nem ser consumido para um dia acabar."
    Amei demais, simplesmente!
    http://escrituras-da-alma.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Como assim? Por que eles não ficaram juntos? Por que eles acabaram? Esse texto não pode ficar por isso mesmo, eles merecem um passado, um futuro. Serio, já to até querendo usar tua ideia pra um curta :P Ótimo texto neguinha, continua essa história, quero ver onde vai dar!

    ResponderExcluir

Subscribe