As doces palavras de Cinthia Freire

07:49

“Ela se jogou em meus braços, apertando-me com força enquanto chorava, um choro de alma, um choro de morte.”




Cinthia Freire é paulista, esposa, mãe de duas meninas, arquiteta por formação e escritora por paixão. Publicou neste ano o seu primeiro livro, Um Novo Amanhecer, pela editora novo século o exemplar custa em torno de R$ 27,00 e conta uma história de amor em 373 páginas.
Em Um Novo Amanhecer somos apresentados a um casal de jovens amigos adolescentes, Giulia e Leo, que juntos descobrem a paixão e logo se tornam namorados. O que era para ser um simples namoro de colégio se torna algo realmente forte, é exatamente nesse momento que o amor dos dois é colocado à prova.
Leo descobre que o câncer que ele havia enfrentado quando criança retornou e sabe que terá de encarar certas limitações no período de tratamento. Giulia, que não sabe mais viver sem o amor de Leo, resolve abrir mão de uma adolescência normal para continuar ao lado de seu namorado abdicando de amizades e prazeres que uma adolescente comum deveria ter.
Depois de muito tempo lutando contra a doença, Leo não encontra mais forças para continuar tentando é quando somos apresentados ao personagem Zyon, um anjo que vaga pela Terra procurando sua missão. Zyon não conhece o amor e não entende o comportamento humano até conhecer Giulia e descobrir sua verdadeira missão.
Confesso que comecei a ler o livro sem acreditar que realmente me emocionaria, achei o amor de Giulia e Leo um tanto quanto melodramático, mas ao decorrer da leitura fui me prendendo a saga dos personagens e entrei dentro da história fazendo com que escorressem algumas lágrimas de meus olhos.
Em certos momentos a autora se preocupa em explicar coisas irrelevantes ou que poderiam ter ficado a critério da imaginação dos leitores, entretanto isso não muda o fato da história ser realmente tocante.
Zyon é descrito como um anjo arrogante, o que me deixou intrigada pois ele se mostra um amor de pessoa, ops... um amor de anjo, foi então que eu entendi que ser arrogante não é ser estúpido e insensível, ser arrogante na verdade, na história de Cinthia Freire, é não entender como funcionam os seres humanos.

O Final (calma eu não vou contar o final) é tocante e provoca um turbilhão de emoções mantendo a magia contida no decorrer do livro.

* Resenha escrita para o Projeto Book Tour


You Might Also Like

3 comentários

  1. Oi, Raquel!

    Parabéns pela resenha.

    Adoro melodramas, adoro romances, então acho que vou gostar da leitura. Pena que serei o último a conhecer a história. Mas tudo bem!

    Abraços,

    http://legereoculis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá, Raimundo!
    Acredito que você vai gostar bastante da história, é super meiga e romântica.
    Imagino que cada resenha postada vai te deixar mais ansioso, mas calma que o livro vai chegar.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oiiii raquel. Eu ameiiii o livro. Mas acho que deu para ver na resenha né? hehehhe. Sabe que eu não gostei muito do Zyon? Eu só queria ele ali pra acabar com a dor, ashuahsua. meu amor é o Léo =D
    beijoooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Subscribe